Intervenção de Jerónimo de Sousa, Secretário-Geral, Encontro com a população

«Odemira tem futuro, um futuro de confiança, construído com verdade e luta»

Ver vídeo

''

Caros amigos e camaradas:

Uma palavra de saudação a todos os candidatos e activitas da CDU, a todos os trabalhadores e ao povo deste concelho.

Aqui estamos no maior concelho do País e da Europa do ponto de vista geográfico, que atravessado pelo rio Mira vai da serra ao mar.

Um concelho cheio de potencialidades quer agrícolas, quer de atracção turística e com condições para a fixação de empresas de pequena e média dimensão, mas que continua a enfrentar problemas estruturais quer nas acessibilidades, quer nos serviços públicos em particular na área da saúde com a falta de instalações e recursos humanos e materiais, quer ainda na habitação.

Habitação cujo problema ganha dimensão com a chegada de milhares de imigrantes e que são alvo da redes de tráfico humano e da exploração desenfreada de novos e velhos agrários – o capitalismo agrário - que tenderá a aumentar com a permissividade do Governo como se vê na Resolução do Conselho de Ministros que alarga o perímetro para a instalação de mais estufas.

Odemira precisa de um maior e mais eficaz apoio aos pequenos e médios agricultores confrontados com o aumento dos custos de produção como a energia, cujo controlo dos preços o PS ainda na sexta-feira passada rejeitou ao chumbar com o apoio da direita a proposta do PCP.

Agricultores que estão sujeitos a sucessivos cortes de água por falta de investimento, o que exige que a Barragem de Santa Clara seja posta ao serviço dos agricultores com a água a preços acessíveis e sirva para o fornecimento às populações.

Acrescem os problemas de integração social de milhares de imigrantes e a falta de respeito pelo trabalho e pelos trabalhadores.

A situação de sobre exploração a que milhares de trabalhadores desta região estão sujeitos exigem medidas, têm de encontrar combate por parte do governo, exigem o reforço da fiscalização e dos
meios da ACT.

Bem pode o primeiro-ministro vir carpir mágoas sobre os trabalhadores como ainda ontem se viu ao vir acusar a GALP de falta de consciência social a propósito dos despedimentos.

A verdade é que o despedimento colectivo da GALP, bem como de outros grupos monopolistas, sem qualquer justificação económica, encontram na passividade e cooperação do governo o estímulo para isso.

Ainda em Julho passado o PS recusou o nosso projecto para travar os despedimentos coletivos, assim como nunca acompanharam as várias iniciativas do PCP para impedir o enceramento da refinaria e defender os postos de trabalho.

Sendo o Estado o 2.º maior accionista da empresa não se estranha a revolta dos trabalhadores perante as declarações primeiro-ministro que não passam lágrima de crocodilo.

Mais que palavras, ao primeiro-ministro exige-se acção.

Sim, Odemira tem futuro, um futuro de confiança, construído com verdade e luta com base numa estratégia integrada quer no âmbito do Litoral Alentejano, quer no âmbito da Região Alentejo.

Sim, Odemira, como todo o Alentejo, para além das promessas dos anúncios dos milhões vindos da União Europeia, precisa de investimento público, precisa que se dê resposta aos problemas estruturais de um concelho e de uma Região cheias de potencialidades, garantindo um desenvolvimento equilibrado, que combata a especulação e o desordenamento do território, salvaguarde a defesa do interesse público, o meio ambiente e os ecossistemas, respeite e valorize o trabalho e os trabalhadores.

Com o reforço da CDU, o povo de Odemira pode contar com a luta, a proposta e acção dos eleitos da CDU para que a água chegue com pressão à casa de cada um; para que os que precisam de consultas de especialidade e não têm transporte os passem a ter; as crianças que não têm escola nas aldeias do interior a passem ter; aqueles que vivem com medo de perder o contrato de arrendamento encontrem maior estabilidade com a revogação da normas gravosas da lei dos despejos; fazendo da cultura e do desporto, da mobilidade, da reposição do comboio regional, da concretização, e requalificação das acessibilidades rodoviárias há muito prometidas mas sempre adiadas.

Com o reforço da CDU em Odemira, aqui assumimos o compromisso de uma gestão transparente, assente no trabalho, na honestidade e competência, no envolvimento e participação das pessoas e das suas organizações sociais.

Sim, os eleitos da CDU, ao contrário dos do PS no governo ou no concelho, não vivem da promessa fácil, são gente séria, gente que promete e se compromete e faz.

Sim, o PS teve toda a oportunidade e meios para encetar uma política alternativa, não o fez por opção, não o fez porque continua preso aos interesses do grande capital e aos ditames da União Europeia.

E mesmo quando foi obrigado a dar passos, fê-lo contrariado e empurrando com a “barriga” tudo o que podia.

Sim, porque com a acção do PCP e da CDU - a força que não desiste - insistimos, propusemos e lutamos pela concretização do aumento das pensões para um milhão e novecentos pensionistas, para que mais de 300 mil trabalhadores em lay-off passassem a receber os seus salários por inteiro, para que mais de 50 mil trabalhadores desempregados vissem o seu subsídio de desemprego prolongado, para que mais de 20 mil crianças fossem abrangidas pela gratuitidade das creches.

Com verdade se pode afirmar: o governo do PS não tem desculpa para não responder aos problemas que assolam o nosso País e o nosso povo.

Sabemos por experiência feita, quanto é urgente uma outra política – uma política alternativa patriótica e de esquerda que não faça do défice o alfa e ómega, antes assegure e garanta o aumento da produção nacional e a redução das importações; respeite o trabalho e os trabalhadores com o aumento geral dos salários e do Salário Mínimo Nacional para os 850 euros; garanta dignidade aos que trabalhando uma vida inteira continuam a usufruir de reformas e pensões de valor inaceitáveis; dê passos no sentido do reforço do SNS e da escola pública, ao invés de estimular o negócio privado da saúde e da educação.

Camaradas e amigos,

Sim, temos um lema, uma marca que nos distingue todos os outros – Trabalho, Honestidade e Competência.

Sim, aqui temos um lema, para Odemira “Mudar para Melhor”.

Sim, com a CDU na presidência da Câmara, Odemira, pelas condições naturais e potencialidades que dispõe está em condições de tornar esse objectivo realidade.

Aqui estamos de cara levantada, com a força e a determinação que nos caracteriza, prontos para enfrentar o futuro com confiança, prontos para prosseguirmos com a nossa proposta e trabalho, a melhoria da qualidade de vida dos que aqui vivem e trabalham.

Aqui estamos, prontos e determinados para lutar pela reposição das nossas freguesias, pela regionalização que PS, PSD e CDS continuam a negar, assegurando o desenvolvimento urbano sustentável como o ordenamento do território, pelo desenvolvimento económico.

Aqui estamos prontos e animados para continuar a lutar por melhores acessibilidades, por uma rede de transportes públicos que responda às necessidades da população, e concretizar a velha, mas sempre adiada promessa do governo da linha ferroviária para passageiros.

Camaradas e amigos

Os nossos adversários podem recorrer á mentira, podem dizer o que quiserem, mas nada apaga a realidade.

As pessoas conhecem-nos e sabem que aqui na CDU é gente séria, empenhada em servir as populações sem nada esperar que não seja a satisfação do dever cumprindo.

As populações e os trabalhadores sabem que dedicamos ao interesse comum cada hora, para que a vida de todos e de cada um melhore, para que seja bom nascer, crescer, viver e trabalhar aqui em Odemira e nas suas freguesias.

Sim, esta força coerente e determinada, composta por homens e mulheres cheios de confiança no futuro, sabe que um povo que não defende e preserva a sua cultura e património, é um povo que esquece a sua própria história.

Os homens e mulheres da cultura que podem contar com CDU para lutar pela defesa da cultura.

Podem contar com a CDU para lutar por mais e melhores serviços de saúde de proximidade, cuja importância, a importância de um SNS forte, se evidenciou na epidemia que atingiu de forma brutal várias freguesias deste concelho.

Não! Não basta dizer que é preciso aumentar a população.

É necessário criar condições de emprego estável e com direitos, assegurar serviços públicos, garantir habitações compatíveis com o rendimento disponível das famílias, garantir creches gratuitas a todas as crianças.

Sim, com a CDU a população de Odemira pode contar com uma séria e determinada acção persistente na luta por mais e melhores acessibilidades e transportes públicos.

Sim, somos uma força que não esquece, que promete, luta e faz, que não se queda no anúncio fácil para captar votos.

Sim, somos a CDU, a força que luta por mais e melhor ambiente, por mais e melhor coesão social dando particular atenção aos nossos idosos e jovens.

Sim queremos recuperar o sentido da palavra solidário que norteou a gestão CDU para que ela não seja uma palavra vã.

Sim, com a CDU, o povo e os trabalhadores de Odemira podem estar certos que tudo faremos para reforçar a segurança pública, para valorizar os trabalhadores do município, como aliás ficou bem patente pela insistência do PCP na consagração do suplemento de Insalubridade e Penosidade, que só não foi mais longe porque o PS não deixou.

Sim, podem contar com a CDU, podem contar com esta força de Abril fundadora do Poder Local Democrático, uma força que com confiança nos trabalhadores e no povo que luta pela construção de um futuro melhor para todos.

Aqui estamos de cara levantada, com a força e a determinação que nos caracteriza prontos para enfrentar o futuro com confiança, prontos para prosseguirmos o trabalho e a proposta para melhoramos a qualidade de vida dos que aqui vivem e trabalham.

Futuro de confiança – é este o sentido que projectamos a partir do nosso trabalho e da nossa acção, sempre tendo por objectivo servir as populações e os seus direitos.

Viva a CDU!

>
  • Poder Local e Regiões Autónomas
  • Trabalhadores
  • Central
  • Autarquia 2021
  • CDU
  • Concelho de Odemira
  • Odemira
  • população de Odemira
  • trabalhadores de Odemira