Intervenção de João Pimenta Lopes no Parlamento Europeu

Uma COP26 sem vislumbre das medidas necessárias

Saídos da COP26 ninguém poderá anunciar grandes feitos.
Pelo contrário. O caminho traçado permanece praticamente inalterado.
A realidade impõe a urgência de medidas concretas.
A resposta, essa, insiste em falsas soluções, medidas insuficientes, de mitigação, ou inadequadas como as de mercado.
Permanecem intocados os interesses dos que lucram na compra e venda do direito a poluir, ou com outros rentáveis negócios a este pretexto.
O capitalismo não é verde! Não será nele que se encontrarão as respostas necessárias e ao serviço dos povos.
Estas não se podem esgotar na estrita dimensão ambiental.
Exigem uma dimensão social, o reconhecimento do direito dos povos ao desenvolvimento. Exigem medidas diversas, entre outras:
. a adopção de uma abordagem normativa que incida na redução efectiva de emissões;
. a promoção de políticas de mobilidade assentes no transporte público;
. o controlo público de sectores estratégicos como o energético;
. o incentivo à produção e consumo locais;
. o direito de cada país à sua soberania alimentar;
. uma regulação justa do comércio mundial;
. a rejeição do militarismo e a defesa da paz!

>
  • União Europeia
  • Intervenções
  • Parlamento Europeu