Nota do Gabinete de Imprensa dos Deputados do PCP ao PE

Sobre a participação da deputada Inês Zuber na delegação da Comissão da Cultura e Educação do PE a Guimarães - Capital Europeia da Cultura 2012

A deputada do Partido Comunista Português no Parlamento Europeu, Inês Zuber, participou nos dias 20 e 21 de Junho numa delegação da Comissão da Cultura e Educação do PE a Guimarães Capital Europeia da Cultura 2012.

Foi com preocupação que no âmbito dos encontros e visitas realizadas constatámos que a programação deste evento poderá ser reequacionada e diminuída tendo em conta que a Fundação que o dirige esta a ser afectada pela reprogramação do QREN.

Consideramos importantes os benefícios que foram criados para a cultura na cidade de Guimarães nomeadamente ao nível das infra-estruturas de divulgação cultural mas não queremos deixar de denunciar que este evento sendo uma mostra cultural importante que valorizamos não reflecte a realidade dramática que os artistas e as actividades culturais vivem actualmente em Portugal.

A suspensão dos apoios à criação cinematográfica, a não abertura de concursos por parte da DGArtes, a alteração dos modelos de financiamento e diminuição de verbas a estruturas culturais, são um exemplo do estrangulamento deste governo à cultura, que levará à morte de dezenas de estruturas de produção, ensino e criação de arte. Portugal investe somente cerca de 0,07% do PIB em cultura quando, por exemplo, a OCDE recomenda que seja investido pelo menos 1 %. Estes valores são tanto mais chocantes e reveladores da importância atribuída por este governo à Cultura, quando constatamos o dinheiro pago pelos contribuintes do nosso país que só em juros e em “apoios” à banca no âmbito do acordo de agressão com a Troika (UE, FMI e BCE) equivale a mais de 250 anos de apoios à Cultura em Portugal.

Esta realidade demonstra que o nosso governo está verdadeiramente empenhado em matar todas as actividades culturais que não se submetam à lógica dos apoios privados ou às dinâmicas dos lucros dos mercados. Este é um atentado maior à identidade cultural do nosso país e à democracia, ao direito de criação e de fruição culturais, de forma livre e independente, que não aceitaremos.

>
  • Cultura
  • Notas de Imprensa
  • Parlamento Europeu