Resolução comum sobre a defesa dos direitos dos consumidores no mercado único digital

O objectivo desta resolução é pôr termo a todos os obstáculos que dificultam o desenvolvimento do mercado único digital, ou seja a defesa da liberalização do mercado digital, baseada numa estratégia global, que a UE acredita ser a panaceia para os males da crise do capitalismo. Mais do que considerações teóricas sobre os efeitos nefastos da liberalização dos mercados, a realidade demonstra que tais estratégias de liberalização conduzem ao encerramento de empresas, concentração de riqueza em países e monopólios dos sectores liberalizados, enfraquecimento das produções nacionais de Estados-Membros de economias mais frágeis, e por conseguinte aumento dos despedimentos, aumento da exploração dos trabalhadores que perante tais níveis de desemprego são obrigados a trabalhar por menos salário e em condições laborais piores.
Votámos contra o princípio defendido nesta resolução, assim como contra a ambição de liberalização do mercado de serviços, a desregulação actual relativa à protecção de dados pessoais e das liberdades individuais, que apesar de constarem como preocupações da UE, como a "neutralidade da rede e a protecção dos consumidores" nada é garantido efectivamente nessa matéria. Votámos favoravelmente a proposta de separação dos motores de pesquisa de outros serviços comerciais, que potencialmente poderia diminuir a concentração das actividades económicas.

>
  • Cultura
  • Declarações de Voto
  • Parlamento Europeu