Intervenção de Sandra Pereira no Parlamento Europeu

Rejeitar a política de ingerência e agressão contra Cuba

Mais uma vez, o Parlamento Europeu é usado como instrumento da campanha contra Cuba, alinhando com a política de ingerência e agressão dos EUA, incrementada com Trump, e mantida agora com Biden, contra Cuba e o povo cubano

De forma hipócrita, clamam pelos direitos humanos, ao mesmo tempo que escondem a existência do bloqueio imposto pelos EUA que, afrontando os princípios da Carta das Nações Unidas, desrespeita e violenta brutalmente os direitos do povo cubano.

O seu objectivo é colocar em causa as conquistas, as opções de desenvolvimento, a soberania e a independência de Cuba.
Falemos, então, sobre Cuba!

Falemos do criminoso e ilegal bloqueio económico, financeiro e comercial, com carácter extraterritorial, imposto pelos EUA há mais de 60 anos.
Falemos das medidas implementadas pela Administração Trump, e que persistem, mesmo em tempos de pandemia, visando impedir o acesso a bens essenciais, como medicamentos e alimentos, procurando colocar em causa direitos, como o direito à saúde ou ao desenvolvimento económico.

Falemos das acções de desestabilização e provocação que os EUA promovem, instrumentalizando cinicamente as nefastas consequências do bloqueio de que são responsáveis, acções de desestabilização e provocação a que este Parlamento se associa com esta resolução!

Falemos, também, sobre o facto de, perante esta situação de extrema complexidade e exigência, Cuba e o seu povo não abdicarem de prestar solidariedade, no âmbito da saúde pública, a outros países e povos, inclusive países que integram a União Europeia.

Por isso, daqui reafirmamos a solidariedade a Cuba, ao povo cubano, valorizando a sua coragem e dignidade, a sua resistência, e exigimos o fim do bloqueio, da ingerência e da agressão contra Cuba!

>
  • União Europeia
  • Intervenções
  • Parlamento Europeu