Declaração de voto de Ilda Figueiredo no Parlamento Europeu

Declaração de Voto da deputada<br />Relatório Karas - Comunicação

Partindo do princípio de que a moeda europeia comum constitui um factor essencial e identificador do processo de identificação europeia, mas reconhecendo que cada cidadão comunitário, tal como os cidadãos residentes, seja em países que não participam na união monetária, seja nos países candidatos, irão ser consideravelmente afectados pela introdução das notas e moedas de euros, o Relator, no seguimento da proposta da Comissão Europeia, apoia uma campanha de informação visando reforçar a confiança dos cidadãos no euro e garantir uma introdução sem atritos a partir de 1 de Janeiro de 2002. Relativamente à banca, o Relator propõe que a Comissão intensifique as suas acções com vista a "impedir as elevadas comissões bancárias para as transferências financeiras transfronteiriças e os elevados custos de conversão para euros". Ao longo do relatório, no entanto, por diversas vezes, é confundida informação técnica necessária para facilitar a adaptação dos cidadãos e das empresas, sobretudo das PME`s, à nova moeda, com campanhas de propaganda sobre a união económica e monetária, o que não pode merecer o nosso apoio. Por exemplo, o relator refere o caso das mulheres como grupo-alvo a privilegiar numa campanha através de organizações e revistas femininas, dado que são as mulheres que nutrem ainda grandes reservas relativamente à introdução do euro.

>
  • União Europeia
  • Declarações de Voto
  • Parlamento Europeu