Governo cúmplice com o escândalo dos vistos dourados

Tal como o PCP tem afirmado, o problema dos vistos dourados, pela sua gravidade e envolvência, para lá de um caso de polícia e de tribunais, tem óbvias implicações políticas e deve ter consequências que vão para além da substituição deste ou daquele ministro ou membro de órgão do Estado. É todo o governo e a sua política que devem ser responsabilizados, exigência que torna cada dia mais incontornável e urgente a demissão do governo PSD/CDS, a dissolução da Assembleia da República, a derrota da política de direita, abrindo caminho a uma política diferente, uma nova política, patriótica e de esquerda, para os portugueses e para Portugal.

Encontro com a AHRESP

No âmbito da acção nacional do PCP «A Força do Povo, por um Portugal com futuro – uma política patriótica e de esquerda», uma delegação do PCP reuniu com a direcção da AHRESP - Associação da Hotelaria, Restauração e Similares de Portugal. No final do encontro Jerónimo de Sousa destacou a análise sobre a realidade do sector e a proposta do PCP de reposição do IVA nos 13%.

Inclui Vídeo

O tempo deste governo esgotou-se definitivamente

No comício realizado no palácio D. Manuel em Évora, Jerónimo de Sousa afirmou que "não há manobras que possam disfarçar esta verdade comum: - o tempo deste governo esgotou-se definitivamente! Se as instituições políticas estivessem a funcionar tendo em conta os verdadeiros interesses do País e do povo, como se impunha, este governo de Passos Coelho e Paulo Portas não tinha nem mais um dia de vida!".

Inclui Vídeo

Debate «Política orçamental e uma justa Política Fiscal»

No âmbito da acção «A Força do Povo, por um Portugal com futuro – uma política patriótica e de esquerda» realizou-se ontem no Porto um debate Sobre «Política orçamental e uma justa Política Fiscal» A sessão permitiu denunciar que nas últimas décadas, governos do PS, PSD e CDS, nas suas diversas combinações, foram paulatinamente construindo uma política fiscal injusta e iníqua que onera os trabalhadores, os reformados, as famílias e as micro e pequenas empresas, ao mesmo tempo que favorece de forma escandalosa os grandes grupos económicos e financeiros.

PCP participa no 16º Encontro Internacional de Partidos Comunistas e Operários

O PCP participou no 16º EIPCO que teve lugar em Guayaquil, no Equador, de 13 a 15 de Novembro. Neste Encontro, que se realizou sob o tema «O papel dos Partidos Comunistas e Operários na luta contra a exploração capitalista e o imperialismo – causa das crises, das guerras e do ascenso de forças reacionárias e fascistas. Pelos direitos dos trabalhadores e dos povos e pela emancipação social e nacional; pelo socialismo!», participaram 53 partidos comunistas e operários oriundos dos cinco continentes.

Sobre a demissão do ministro da Administração Interna

Reagindo ao pedido de demissão de Miguel Macedo, João Oliveira considerou "este governo não pode continuar a executar esta política e não tem condições para se manter em funções. Como temos vindo a dizer, o mecanismo dos vistos gold criam um campo para as práticas de branqueamento de capitais e é preciso tirar as consequências políticas. A demissão do ministro não é suficiente, é preciso que o Presidente da República tire todas as consequências políticas, demitindo o governo e convocando eleições antecipadas".

Inclui Vídeo

8.ª Assembleia da Organização Regional de Beja

"O que sobressai dos trabalhos da Assembleia é a existência de uma política alternativa para a solução dos problemas regionais e para relançar o seu desenvolvimento. A existência de uma política que se enquadra nos grandes eixos da política alternativa, patriótica e de esquerda, que o PCP tem apresentado ao País. E por isso, a intervenção dos comunistas que não se confina à denúncia das políticas e às suas consequências, mas também à apresentação de propostas de solução dos problemas, visando a elevação das condições de vida das populações".

Faleceu José Casanova, destacado dirigente comunista

O Secretariado do Comité Central informa que faleceu hoje, após doença grave, José Casanova, membro do Comité Central do PCP. Deixa-nos a sua intervenção dedicada como militante e dirigente do PCP nas mais diversas tarefas e responsabilidades e a sua sensibilidade e contribuição no plano cultural. A melhor homenagem que lhe podemos prestar é prosseguir a luta do seu Partido de sempre, o Partido Comunista Português, ao serviço dos trabalhadores, do povo e do País, pelo ideal e projecto comunista.

Encontro com Micro, Pequenos e Médios Empresários

No jantar realizado em Lisboa, Jerónimo de Sousa considerou que as "micro, pequenas e médias empresas, completamente sujeitas, quer como fornecedoras quer como clientes, à predação dos monopólios e oligopólios, da grande distribuição, da banca e seguros, da energia, das telecomunicações, dos cimentos ou do ferro, etc., sujeitas a contratos desequilibrados e exploradores, com imposições tantas vezes ilegais, com violação das leis da concorrência, com os mercados públicos monopolizados pelas grandes empresas".

PCP endereça condolências ao MPLA pelo falecimento Afonso Van-Duném, Mbinda

O Secretariado do Comité Central do PCP endereçou uma mensagem de condolências ao Comité Central do MPLA pelo falecimento de Afonso Van-Duném, Mbinda, assinalando o “dirigente destacado do MPLA e do Estado angolano cuja contribuição para o fortalecimento das tradicionais relações de amizade, cooperação e solidariedade entre os nossos dois partidos e para a amizade entre os nossos dois povos, não esqueceremos”.

Seminário «Direitos dos trabalhadores e contratação colectiva»

Com o objectivo de debater a acção e a perspectiva de valorização do trabalho e dos trabalhadores enquanto condição e objectivo de progresso social, realizou-se em Setúbal o Seminário “Direitos dos Trabalhadores e Contratação Colectiva”, promovido pelo PCP e pelo GUE/NGL – Grupo da Esquerda Unitária Europeia/Esquerda Verde Nórdica do Parlamento Europeu.

Encontro com a Comissão Nacional Justiça e Paz

No final do encontro com a delegação da Comissão Nacional Justiça e Paz, Jerónimo de Sousa, Secretário-Geral do PCP, destacou a convergência de opiniões na caracterização da situação social, da abertura ao diálogo e da necessidade de uma ruptura e mudança no país.

Inclui Vídeo

Privatização da TAP: um crime contra os interesses nacionais

A decisão do Conselho de Ministros de privatização de 66% do Grupo TAP, SA, é um crime contra os interesses nacionais e urge ser travada. O PCP apela à luta dos trabalhadores da TAP, que noutros momentos travou idênticas intenções, e apela à intervenção de todos os democratas e patriotas para impedir a sua privatização e assegurar uma empresa com futuro.